sábado, 30 de maio de 2009

Vida de Motoboy

Considera-se os moto boy a escoria da sociedade. Por causas comuns, simplistas, força do destino ou da necessidade que obriga um cidadão comum assumir uma atividade altamente discriminada. Por vezes, pessoas cultas, formadas, alheias à essa profissão devem assumir por força maior se sujeitar a esta cruel atividade. Quem trilha este caminho sabe dos perigos, das humilhações e injustiças que esta profissão oferece.Sou um dos casos, formado em arquitetura, com firma de comunicação visual, fui obrigado pelas circunstancias atuais, da carência de serviço, a comprar uma motoca nova e sair a batalhar.Descobri muitas coisas, que sou bom nisso, ando junto com os melhores, estou gostando mesmo. A solidariedade que se encontra nesse grupo é fora de série. Não tem como não parar num farol sem que alguém te peça ou te de uma informação necessária.Pode ser o dia mais triste de sua vida, tua mulher te chifrou, recebeste a visita da sogra no final de semana, o teu cachorro te mordeu, não importa, sempre encontrarás um motoqueiro te cumprimentando ou te oferecendo auxílio nas esquinas. Um comentário oportuno, um conselho válido, em fim, você nunca estará sozinho no seu sofrimento. Dizem as estatísticas que morre um motoqueiro e meio por dia. Agora vejo isto como uma grave fatalidade.Seriam necessárias campanhas educativas para o comportamento veículos em geral versus motos. Muitos pensam que o moto boy é aquele ser desprezível que vêm para destruir com o pezão o teu espelho retrovisor. Bem, não são todos os espelhos as possíveis vítimas, e sim aqueles que estão sobrando.São muitos nas ruas, eles se incomodam entre sim também. Tem pequenas e graves colisões. Claro que sempre prevalece o espírito corporativo, a compreensão perante algum pequeno erro cometido. A classe não se condena a si própria, se complementa, se ajuda.As dificuldades são as mais diversas, falta de segurança, falta de seguro sobre o veículo, ganho miserável, vitima das inclemências do tempo, da poluição ambiental, dos patrões exigentes que obrigam a “correr” o dia todo.Compromissos de horário, contratos que roda muito e ganha pouco, falta de objetivo em tudo isso, que no fim não leva a nada. Com o que se ganha não se compra nada e se perde um tempo precioso em fazer outra coisa na vida, como estudar. Ou seja, uma profissão com presente, pois da para comer, mas sem futuro, não da para progredir, ser transferido, ser reconhecido, ganhar mais, subir de cargo, em fim nada, a não ser ficar velho e continuar pilotando essas máquinas malucas. Existem seres engraçados, os chamados “cachorros loucos”, que correm enlouquecidos o dia inteiro, desprezando a vida, transformando a atividade numa doida aventura, com a esperança de faturar uns trocados a mais por dia. Ignoram isto sim, que eles são as primeiras vítimas, pelo desgaste físico, emocional e da suas máquinas.O diabo fica ansioso de ver a forma que eles desprezam a vida.Bem, o perigo existe em toda esquina, com chuva o sol. Somos vítimas do descuido alheio, levando a pior parte em qualquer confronto. Pagamos caro, até com a vida uma pequena distração de um motorista de carro ou caminhão.Não reclamamos do nosso infortúnio, parece que estamos resignados, calejados de levar desvantagem sempre. A maior satisfação é correr velozmente nos corredores formados por veículos nos dias que está o transito todo parado. Parece uma verdadeira vitória passar todo mundo que está parado e nós correndo velozmente no meio deles.Existem diversos tipos de moto boy, aqueles que trabalham por serviço e precisam correr o dia inteiro, aqueles que ganham por hora e precisam que o tempo passe para ganhar algum, não tem pressa. Os novatos, que tem medo de entrar nos “corredores”, pois ainda não tem prática de andar disparados no meio do aperto, os motociclistas que se misturam aos moto boy mas sempre com as suas máquinas enormes, possantes. Alguns parecem vindos de filmes do futuro, com os braços para cima naqueles guidões gigantes. Esses devem dirigir na velocidade dos carros, sem chance de ultrapassar no transito da cidade. Só se destacam na estrada.Agora, a consciência de sua própria vulnerabilidade acerca mais estes seres incríveis. Loucos por desprezarem a vida a troco de nada. Só a aventura é que vale. Vi senhores de cabelo branco, achacados pela idade, já não correm tanto, mas continuam firmes nas ruas de São Paulo. Da pena de ver que não tem outra alternativa na vida a não ser essa, a única forma de sustento que eles conhecem e assim continuam até quando Deus quiser.Peço encarecida mente aos leitores, aos motoristas de veículos como carros, ônibus, caminhões, que tenham consideração com os motoqueiros. Um espelho quebrado não é nada comparado com uma vida. Aliás, acima de duas rodas sempre existe uma vida.Não sejam injustos, ceda o passo, a gente corre para servir a sociedade, arriscando a vida a troco de nada. Não custa ser gentis, pelo menos para nossa segurança e a vossa própria, pois, quem deseja se envolver num acidente às vezes fatal com um motoqueiro? Como fica a consciência? O dia de trabalho?A despesa toda? Não é melhor evitar? Mesmo às vezes levando algum xingo ou ofensa?Se dei um passo à frente no intuito de melhorar a vida de muitas pessoas, então estou realizado em minha intenção. Cumpri o meu dever cívico que é a melhora da sociedade como um todo.Salve o motoboy!

6 comentários:

SIMEI disse...

Enrique:

Grande escritas meu querido.

Compactuo com você, apesar de eu nunca ter usado a motocicleta na atividade "Moto Boy" gosto da coisa e admiro sua profissão, tão digna como tantas outras quando se faz com seriedade.

Vá a luta Guerreiro, são estas coisa como seus escrevinhamento, que um dia poderá mudar as mentes de quem não colabora com nada.

Abração.

EXERCÍCIO FÍSICO É SAÚDE - CASTRO PERSONAL TRAINER disse...

CARA! GOSTEI DE VOCÊ, VI UM COMENTÁRIO SEU NO BLOG DO SIMEY.
O SIMEI, É UM GRANDE AMIGO MEU, TEM UMA BELA FAMÍLIA.
APRENDI UM PUCO MAIS LENDO A SUA POSTAGEM. UM ABRAÇO
CASTRO.

Aliz - jornALIZta disse...

Enriqueto, você postou um lado da moeda que nunca ganha espaço em lugar nenhum. É verdade, os motoboys são vistos como a escória, como os seres que só servem pra estragar carros alheios, mas ninguém pára pra pensar nos motivos disso tudo: a sobreviência. Eu mesma, como motorista, sempre tive muita envocação com os motoqueiros, pela audácia deles, a ousadia, no entanto, ao pensar no ser humano e no trabalhador acima daquele veículo tão frágil, acordei para os riscos que correm, as axigências que os cercam e todas as desvantagens em comparação com os outros. Cuido deles no trânsito, mas há muitos que não fazem questão de cuidarem-se eles mesmos. É a vida!
Gostaria que todos os motoboiz lessem essa sua postagem para saberem o quão amparados foram agora, compreendidos; e que todos os motoristas lessem também, para verem o outro lado da moeda, se colocarem na garupa desses bravos trabalhadores.
Parabéns!
Beijos

everaldo disse...

Sempre respeitei todos os motoqueiros, especialmente os motoboys. Depois de te conhecer amigo, aumentei este respeito, pois vejo em cima de cada moto um Enrique Andres.

Gilson mboy promotor do motoboysmo disse...

Parabens pela postagem,

Agradeço por se interessar em tratar de assuntos considerados pouco importantes por alguns jornalistas...

Minhas experiências com jornalistas não são das melhores.

A imagem do motoboy,aos olhos de muitos,acaba sendo de um infrator ou coisa parecida (para não dizer bandido).

Já senti isso na pele.

Vivo firme na esperança de que as coisas mudem.

A policia militar da cidade onde moro (Vitória ES),adotou uma espécie de policiamento com motocicletas (para reprimir crimes com a utilização desses veiculos).

Eu imagino que as pessoas não sabem ao certo o que dizem e as vezes fazem mal julgamento.

Desejo comentar aqui uma declaração do comentarista ou jornalista Alexandre Garcia,que por sinal é muito generalizada.

Ele chegou a comentar que moto é um veiculo criado para infrigir a lei e se tirassem as motos do corredor,ela perdiria a sua essência de ser.

Talvez ele seja uma pessoa preconceituosa ou mal informada.

Espero que a divisão de policiamento com motocicletas,não batam na porta dele com um mandato de prisão por desacato.

Para referir,vi esse comentário (do alexandre Garcia) no motos blog e acredito que ainda esteja lá.

Sds,

Paz.

Carol Ferrari disse...

Olá Henrique! Tudo bem?

Bisbilhotando na internet achei seu blog e logo me encantei. Confesso que por dois motivos. Primeiro, pelas historias e segundo porque estou produnzinho um livro reportagem sobre o dia-a-dia de um motoboy no selvagem trânsito paulistano e pensei que, talvez, voc~e pudesse me dar uma força. Busco historias inusitadas sobre os representantes dessa categoria. Será qu poderiamos marcar uma entrevista. Sei lá, pode ser em algum café, por telefone, ou e-mail. Aguardo seu contato.

caroline.f_carvalho@yahoo.com.br

Abs

Meu cartão

Quem sou eu

Minha foto
Alguns me acham diferente, tal vez porque não frequento igrejas, me comunico direto com Deus. Outros afirmam que tenho muita beleza, interna claro. Baixo colesterol, alta testosterona, pressão normal, coração a mil, sempre pronto para amar, dosse altas de carinho, uma alma receptiva e nobres sentimentos.Que beleza!!! E vocês ainda querem que eu seja bonito? Mas que covardia. Sou pelo menos "interessante" Como broche de ouro, a minha mania de fazer amigos, com pessoas simples, assim como você e outros tantos que alimetam os meus sonhos, o meu ego, compartilham os meus momentos, me fazem rir e até chorar. E nesta troca de sentimentos desfrutamos juntos as nossas emoções que é o alimento de nossa vida espiritual. Agradeço a sua visita, a sua companhia. Leiame e por favor......me ensine algo, enriqueza a minha vida, adoro muito aprender. Bem vindos aqueles que sabem conjugar em todos os tempos o verbo "AMAR"

Paradas legais

Seguidores